HifiClube

Las Vegas, Janeiro De 2004 / Reportagem

Ces 2004: Válvulas, Parte 1

Artigo de Arquivo

Este artigo foi migrado do site antigo e ainda não nos foi possível revê-lo pelo que poderão existir algumas incoerências no mesmo: links partidos, desformatação to texto, imagens em falta, etc...

Ajude-nos a melhorar o nosso site e informe-nos sobre qualquer incoerência que encontre neste artigo para que o possamos arranjar. Obrigado.

Reportar artigo!

O MENSAGEIRO Ming-Da

 

Gosto de pensar que já nada me pode surpreender. Posso apreciar mais este ou aquele sistema, este ou aquele amplificador, mas, tal como o misógino cínico em relação às mulheres, no fundo é tudo a mesma coisa. Afinal não é.

 

Mal tinha começado a minha jornada no Alexis Park e já tinha ouvido um daqueles amplificadores que nos deixam ruborizados de emoção. Pelo menos eu pensava que era o amplificador. As colunas eram umas modestas Dali (as Magellan só foram montadas depois e revelaram-se demasiado grandes para tão pouco espaço). Num dos artigos que escrevi, fiz humor com os chineses. Chegou a altura de emendar a mão e engolir o primeiro sapo. Ming-Da, perspectiva superior

 

O amplificador chama-se Ming-DA (Meizing Electronics Factory) e custa $12.500 o par. Cada monobloco utiliza um par de 300B, um par de 845, um par de 12AU7 e uma 6H8C. Nada de revolucionário, portanto. Entrei, sentei-me, fiz as fotos da ordem, ouvi 30 segundos de música (para cobrir todo o show devia ouvir apenas 15 segundos!) e fiquei colado à cadeira durante meia-hora! A continuar assim o «show» tinha de durar um mês...

 

Vamos ver se consigo arranjar uma imagem que descreva a sensação. Talvez um decote de mulher, daqueles longos e profundos que nos afogam num turbilhão de sensações. Está tudo ali à mão de semear mas não se pode tocar que parece mal, até porque, de facto, ela não existe, é apenas uma projecção acústica. E contudo, era capaz de jurar que ouvi o respirar do seu corpo, o pulsar do seu ser.

 

O problema é que as vozes masculinas eram igualmente excitantes, já não de uma forma erótica mas física, tal a ilusão de presença. Messenger, o mensageiro dos deuses

 

Jay Bernard, um tipo arrogante e convencido que estava no stand, pergunta-me: «Gosta?...». «Uau, que amplificadores», respondi. «Sim, claro, mas o segredo é do prévio. Chama-se Messenger, e é o único do mundo que não retém a informação harmónica essencial para que a música tenha este realismo que experimentou...».O Messenger foi projectado por Bruce Wullach e utiliza 6829 na entrada e 6AS7 na saída. A fonte de alimentação (separada) pode ser de estado sólido ou a válvulas.

 

Seja como for, o conjunto Messenger/Ming-Da foi o melhor som de válvulas que ouvi em Las Vegas este ano.

comments powered by Disqus